sexta-feira, dezembro 25, 2009

Em busca do tudo...

Estava numa daquelas noites insones e agitadas, em que aguento uma mente cheia de nada, quando resolvi olhar pela escuridão. Senti vazio, um monte de nada se cruzava no meu olhar. Olhava em frente e nada via. Olhava o lado e nada tinha. Como me via tão inquieta se um nada me envolvia? Então percebi que o nada é o bastante. É o bastante para me encher de interrogações e inquietações. Se ali estava o nada, onde estaria o tudo? Aquele nada deixava o clima frio. Assombrava-me a cada momento. Mexia-me e remexia-me, desejando libertar-me do vazio. Foi então que resolvi procurar o tudo...

Levantei-me e procurei algo que cobrisse a falta que sentia. A ausência de iluminação impedia o encontro de uma saída. Andei Às voltas pelo quarto negro. Caía no negrume. Levantava-me mas de nada valia. É que por muito que caminhemos, se apenas seguirmos escuridão, não encontraremos claridade.

Decidi mudar de estratégia. Liguei um candeeiro e aí vi o que me rodeava: paredes. Limites à minha existência. Se antes sentia a minha visão limitada, agora era o meu corpo, o meu ser. Não iria preencher o vazio se estivesse enclausurada. Tinha de procurar a luz. A luz livre!

Caminhei lentamente até à janela.Tinha a esperança de, no outro lado, encontrar o que procurava. Abri e observei cautelosamente o silêncio do mundo. Parecia estar sozinha. Não se via vivalma. Tinha a certeza que o tudo estaria por ali...Mas onde? Continuava sem saber...

A luminosidade resultante dos candeeiros de rua já permitia o vislumbrar de todo um mundo a descobrir. No entanto, era artificial, era forçada. Naquela noite tinha decidido encher-me de sentido...Não queria encher-me à força...De vazio estava eu repleta!

Olhei para cima e aí vi. Vi algo que nem a mais elaborada estratégia humana pode alcançar. Vi algo que nenhuma luz artificial pode eclipsar. Vi algo tão natural e espontâneo, algo tão certo e cheio de sentido. A verdadeira luz da noite é aquela que vem da verdade e não falha. É aquela que não finge brilhar, brilha! É simples e a qual poucos ligam...Talvez os loucos...Ah como me quis encher de loucura naquele momento!

-Estrelas, como brilhais tanto? Parecem tão cheias de um tudo!

Pareceu-me ouvi-las falar enquanto dançavam na escuridão:

-Tudo o que precisamos é da nossa luz para brilhar.

Elas transformaram a escuridão numa festa e numa esperança. Apenas precisavam do seu brilho.

Regressei à cama. O quarto continuava negro como antes. Mas algo estava diferente. O vazio já lá não residia. Sabia que eu estava lá e era o que bastava.

Nessa noite sonhei que era também uma estrela brilhando intensamente no céu. De lá podia ver todo um mundo que era um tudo. Já não era eu a precisar de um tudo mas sim um tudo a precisar de mim. Era mais do que tudo! Dançava como as outras, naturalmente e tudo estava certo.

Desde aí que passei a ver a noite com outros olhos...

domingo, dezembro 20, 2009

Excepções à regra 1

A vida é uma constante mutação. Transformamo-nos a pouco e pouco. Às vezes o processo é tão lento e natural que nem nos damos conta. Não requer qualquer esforço, apenas acontece. Só mais tarde nos apercebemos o quanto tudo está diferente. Mas outras vezes, a mudança é repentina, inesperada ou talvez maior do que o que esperávamos. Há momentos em que sentimos dificuldade em encará-la. Que nos sentimos até fora do nosso mundo, e o objectivo é a adaptação.
O ser humano vive numa constante adaptação. Tudo que este quer é integrar-se,é dar-se bem no seu circulo, no seu meio. Como já referi, há adaptações que não pedem esforço mas há momentos em que nos são pedidas estratégias. E são as atitudes que fazem a diferença. Tudo se resume às atitudes que cada um resolve tomar. A sociedade mais parece um tribunal. Todos os nossos passos são passiveis de julgamento. Ou temos cuidado, ou sofremos as consequências. E se queremos ser bem aceites no nosso meio, então devemos fazer as coisas certas. E quais são as coisas certas? Por muito que falem, os passos a dar não estão escritos em manuais. Viver não é uma receita de culinária. O que nos resta? Esteriótipos e padrões culturais! Tomamos como exemplo o comportamento que as massas adoptam. Assim esperam que ajamos.
Quando esses modelos diferem da nossa essência deparamo-nos com um dilema. Qual o caminho certo? Ser diferente porque o somos, ou ser igual porque o são? Para dificultar um pouco temos o problema da adaptação. Que caminho escolher se queremos ser bem aceites? A escolha difere de pessoa para pessoa.
Vou centrar-me na minha preferida: na diferença. Então escolho dizer não! Escolho dizer não quero isto, não vou por aí. O que me acontece? A não ser que encontre bom senso sou apontada. Posso mesmo ser gozada. Onde fica a minha adaptação? No isolamento! E era este o objectivo inicial? Não! então qual é a solução? Ser como as massas? E o que farão os outros em relação a mim? Dependendo da sua escolha, muitos deles farão o que as massas fizerem.
Mas afinal quem começa? Se há comportamentos padronizados, alguém teve de ser o primeiro a tê-los. E esse alguém teve de ser diferente.
Então o que é que leva umas diferenças a serem aceites e integradas no socialmente aceitável e esperado e outras a serem apontadas. Pergunto: quais são os requisitos que a minha diferença tem de cumprir?
Darwin não podia estar mais certo. Neste mundo sobrevivem os mais fortes! O mais forte é quem consegue fazer valer a sua...Uns ficam pelo caminho...Outros conformam-se...E depois há aqueles que muitos querem ser, eu inclusive:Os precursores de novos padrões!

domingo, dezembro 06, 2009

Esta é pra ti Inês- Risco

Está na altura de assumir a plenitude da incerteza. Correr o risco de correr riscos. Nada nos prende, nada nos faz ficar ou não agir. Não há nada a perder. O único perigo é não ganhar...E quando se age, há sempre repercussões.
Porque não esquecer o passado? Porque não esquecer tudo o que aprendemos até agora? Deixemos a responsabilidade para mais tarde. Conquistemos o que o mundo tem para nos dar.
Somos jovens...Nós temos tempo...Nós ainda vamos a tempo...Temos muito para nos arrepender...Poderá ser apenas um cliché, uma frase feita como outras tantas, mas arrependamo-nos de algo que nos fez arriscar, que nos fez cair e magoar, que nos fez crescer e aprender...
Vivemos cravadas de cicatrizes, mas já não somos bebés para ter a pele macia e suave. Somos seres a amadurecer...
Então arrisquemos...Apostemos tudo o que temos. E multipliquemos o que somos...

domingo, novembro 22, 2009

Não é so saber o que se estuda...É perceber o que se estuda

Depois do que tenho visto, do que tenho passado e do que me tenho esforçado posso bem dizê-lo. Acho um ultraje haver tantos licenciados desempregados. Uma pessoa esforça-se, mata-se para conseguir atingir os objectivos quase inalcansáveis...No mínimo deveria ser um investimento certo.

Eu adoro Direito, devoro as aulas de Direito, matei-me a estudar Direito...Para chegar ao teste e espalhar-me ao comprido!!! Mas porquê? Para quê?

E agora cá estou, a esquecer que tudo pode correr mal e que o esforço pode ser em vão, a estudar História Económica por cadernos de textos numa língua que me é completamente desconhecida INGLÊS!!!! Que raios, digam o que disserem inglês não é para mim...E não percebo nada.

Não haverá tradução para Francês ou Espanhol???? Já que não existe em Português????? GRRR

sábado, novembro 21, 2009

A carta que nunca irás receber

Tanto escrevo e para quê? O que me continua a motivar? São palavras vazias, estas que escrevo. Palavras que são tantas vezes repetidas e se desvanecem no nada. É com tanta força que as profiro e são um nada. Talvez seja porque só as profiro num sonho, numa vontade. Gostava tanto de poder voltar a dizer-te tudo o que vai cá dentro. Gostava tanto de voltar a sentir quem sou eu e descobrir mais de mim. Não imaginas o quanto doí ter de esconder o que há de mais certo em mim. Queria olhar-te nos olhos, de novo e poder dizer o quanto te amo, o quanto queria que estivesses ao meu lado, o quanto me apetece largar toda uma vida de fachada e ir contigo.
Parece que foi ontem que te conheci, que soube o que era uma vida alternativa e verdadeira. E já há um ano deixei de te poder dizer o que sinto e quanto és importante na minha existência.
Devo-te a ti tudo o que sou hoje. Devo-te a ti os momentos que me fizeram agarrar-me à vida com unhas e dentes.
Não te quero deixar ir e muito menos ir sem ti. Só queria seguir a vida que escolhi. Aquela que realmente faz sentido, o único caminho que me vejo a percorrer.
Eu mudei muito desde que te conheci. Os meus objectivos cegos passaram a ser ideias preconcebidas. Não me trazem o efeito que queria. De que vale tanta riqueza se nos falta o verdadeiro amor e o risco que este traz?
Por favor, não vás sem mim!

terça-feira, novembro 17, 2009

papas de azeite

E na primeira vez que tentei fazer arroz saiu............................................Papas de azeite!!!!
Como é possivel??? Tenho fome pah

segunda-feira, novembro 16, 2009

Borboletas


Já aqui falei uma vez sobre a melhor maneira de apanhar borboletas. Experimentei e dei conta que de facto era verdade. Estava comprovado. Foi uma das melhores descobertas da minha vida e eu tinha orgulho na sabedoria que tinha adquirido.

Mas qual não é o meu horror quando olho para a minha mão e me dou conta que tenho, de novo, a rede na mão. As borboletas fogem e eu corro atrás delas. Corro, corro, corro. Canso-me e caio fatigada. E o que consegui com este esforço? Nada. Olho para cima e lá estão as borboletas, inalcansáveis. Mas claro, que estou para aqui a fazer? Porque tenho esta rede na mão? Mas afinal, porque corro eu?


Acho que está na hora de contar o que se passa realmente comigo cá no Porto. Mal cheguei, perdi-me! Senti-me desorientada. Um mundo novo me esperava e com ele uma esperança. Mas não demorou muito até que tudo não passasse de uma desilusão. Desilusão não por ser mau. Desilusão porque eu queria que osse bom demais. E desde logo a ilusão desmoronou. Não ia às festas como sonhara, não devorava as aulas como esperara, não me sentia livre como desejara, não estava com quem queria e novos conhecimentos mal os via. Durante algum tempo escondi esta desilusão. Queria ser como os outros. Queria adorar esta nova etapa. Mas sabia que não estava a correr como queria. Chegou a um momento que a solidão pesou, que a tristeza assombrou e tudo aquilo que não devia aparecer agora. Voltei a perguntar-me: mas porquê? Porque não consigo ter a vida que sonhei tal como 0os outros conseguem?


Hoje percebi. Tinha desistido. Tinha desistido de o conseguir a partir do momento em que não me protegi. Não me protegi e deixei-me ir abaixo por uma ilusão, por uma rejeição. Desisti de mim e passei a mendigar atenção de quem já não me podia dar. Queria esmolas e desisti da fortuna. Mas porquê? Porque o fiz? nem eu consigo encontrar resposta. Não é racional. Quando se trata de sentimentos nada é racional (e não me venham com Damásio).
Decidi então tomar uma atitude. Decidi começar de novo e fazer tudo aquilo que tinha planeado. Está na altura de conhecer o mundo. Está na altura de falar com pessoas diferentes, de conhecer realidades distintas. Experimetar o que sempre quis experimetar. Só assim me posso encontrar. Só assim posso atingir o que realmente quero.

Ah! "O segredo não é correr atrás das borboletas...É cuidar do jardim para que elas venham até ti" (adoro esta frase)

Ridiculo

Isto pode parecer ridículo...ou não, mas me encontro na solidão do meu quarto a jantar...A parte ridícula é estar a escrever ao mesmo tempo. Mas o mais ridículo ainda´, é o que vou escrever a seguir:
Luta Bela, não desistas. Pensa que cada garfada que levas à boca é um passo que te leva ao vestido...Tas muito magrinha para poderes vestir algo tão elegante. Continua...:D

domingo, novembro 15, 2009

o que mais te queria dizer

-Nao vejo nada do que quero nisto...Mas sei o que quero...O IMPOSSIVEL!
-O quê?
- Boa noite...
E despedi-me como se tivesse dito tudo não podendo dizer nada. Desliguei o msn e fiquei imóvel a olhar o monitor...Tal qual como se estivesse a olhar o horizonte.
-Tu sabes do que falo...
E deitei-me na esperança de um novo dia.

Doi

Transformaste-te em tabu. O teu nome fere-me o peito. A desilusão sufoca-me. Quando me passas pelo pensamento, deixo de conseguir respirar. Sinto-me insana, louca...Não consigo ser racional quando se trata de ti. Cegaste-me. Preciso que te afastes da minha mente para sobreviver. Sinto-me envolta em escuridão, sinto-me claustofobica. Esta desilusão é como uma queimadura bem marcada e dolorosa.

É cedo!!!

Irrita-me! Irrita-me profundamente ser dia 15 de Novembro e ter que ouvir musicas de Natal. Não estou a pensar nos presentes, não estou a pensar em decorar uma árvore nem estou a pensar em paz e amor...A minha mente continua invadida por imagens que remetem para Sol praia e afins... Eu sei que já é um bocado tarde mas acho uma transição muito brusca passar do top para o sobretudo...

quinta-feira, novembro 12, 2009

Amanhã teste!!!

Quando Microeconomia se torna num Macroproblema!!!:p

sexta-feira, outubro 30, 2009

Desistir

Desistir não porque desisto. Desistir apenas porque me pedes, porque é a tua vontade. A minha desistência é luta. É só mais uma tentativa. Desistir? eu não desisto. Desistir é morrer e eu não morro. Eu vivo, resistindo a todas as facadas, caminhando contra a corrente. Se desisto é porque me pedes. E a desistência não é minha. É apenas tua!

Fazendo as contas

Aminha prof de Direito (que eu tanto gosto) disse para lermos um livro até ao teste, que segundoela, o tipo de escrita é quase incompreensível... Eu estou a amar Direito e até gostava de ler o livro...Mas visto que estou cheia de testes e sem perceber quase nada, pergunto: COMO? A prof sugeriu lermos 5 horas por dia e assim líamos num instantinho.Visto que tenho 6 disciplinas (das quais Direito é a mias fixe:p), deveria estudar 6x5=30 horas por dia. Como o dia só tem 24 horas e eu tenho necessidades a serem satisfeitas diariamente, como todos os seres humanos, concluo que aquilo que nos é proposto é HUMANAMENTE IMPOSSÍVEL!!!!

domingo, outubro 25, 2009

Duvida

Não sei qual o caminho,
Ou talvez qual o destino.
Porque sempre recomeço
E em nada permaneço.
Sou alma viajante
Com olhar sonhador.
Em mim nada é constante,
Só esta eterna dor.
Neste coração descontente,
Há sempre o espaço invadido
Por esta interrogação permanente.
Vivo num mundo perdido
Porque as certezas um dia
Se tornam em verdades dúbias.
E o que ontem me iluminava,
De sonho não passava!

sexta-feira, outubro 16, 2009

Nostalgia

Olhando para o céu, por de trás de uma lágrima penso: podia pedir às estrelas que me trouxessem o teu olhar. Gostava de voltar a ver-te brilhar, como quando me sorrias, como quando sentias que o segredo era sonhar. E sonhávamos com um mundo a conquistar. Vivíamos na fantasia de tornar possível tudo em que acreditávamos.
E contemplavamo-nos embalados pela melodia daquela canção... Aquela que tanto nos diz, que tanto nos retrai. Dançávamos até ao infinito, sem parares de me fitar. Dançávamos os acordes de um amor puro e imaturo.
Sinto o desejo de voltar. Voltar a ter o sonho que invadia a nossa alma e cantar. Cantar com um encanto que nos faz sentir e esperar pelo momento. Momento que partiu ou que voltará. Momento em alto-mar, ancorado no meu sonho imenso, que se reflecte no céu.

Túnel

O túnel escuro já deixa entrar esperança. Vê-se uma luz tão perto, mas sinto-a tão distante. Porque não a alcanço? Será uma miragem? É como andar no deserto, sequiosa, e vislumbrar um oásis. Mas quanto mais ando, mais a luz se afasta. Até que rastejo e imploro que venha a mim. Deitada, cansada e desejosa, resisto. Digo só para mim, em tom baixinho, que é quanto a força me permite, falta pouco. Aguenta que um dia verás o céu!

uffa

Raio de Faculdade...Finalmente consegui vir ca...('Tava sem pc...)

domingo, setembro 20, 2009

Medo

Ninguém pode saber, eu tento esconder o mais que posso mas eu tou cheia de medo de ir para a faculdade. Toda a gente tem que pensar que eu estou a adorar aquilo mas não estou. Aquilo assusta, aquilo mete medo. Este sonho está virar pesadelo. Estou outra vez perdida, rodeada de gente que não conheço, num sitio onde ninguém quer saber de mim, em que eu sou um número. Tenho tanto medo, tanto. E não posso porque isto é um sonho e é suposto eu estar feliz mas eu não estou, não estou mesmo e ninguém sabe. Tenho de ensaiar o discurso:" ah aquilo é fixe" mas não é. aquilo é um filme de terror. Um filme sem um herói que me possa salvar. Ainda nao fiz as malas, não fiz nada... Não tenho coragem...Eu passo o dia a tremer e a esconder o que realmente sinto...É sufocante

sexta-feira, setembro 11, 2009

:D

Inês:
Ainda me lembro quando eramos pequeninas e te perguntei: o que é que queres ser quando fores grande? E tu: gestora. :D :')

Colocada :D

E depois de tanto esforço, trabalho, ânsias e incertezas:

Colocada
Faculdade de Economia do Porto,
Gestão,
1ª opção :D

quarta-feira, setembro 09, 2009

Miss MUU 2009

Elas sabiam que iríamos lá estar...E não quiseram perder esta oportunidade.
A nossa equipa foi até aos Açores com vista a eleger a mais formosa e elegante miss. Elas apareceram e desfilaram, dando o melhor de si. Capricharam e a nossa escolha foi extremamente complicada. Mas após um rigoroso processo de selecção, encontramos as vencedoras.
Eis as vencedoras do concurso MISS MUU 2009:


Em 1º lugar: Hermengarda Joaquina


Em 2º lugar: Vitorina Caldeira

Em 3º lugar Quinita Arroz


Os nossos Parabéns às vencedoras!

sábado, setembro 05, 2009

Um a aventura com a TAP 2

E cá venho eu contar o resto da minha aventura com a TAP.
Estávamos no aeroporto das Lages, na ilha Terceira. Há 1 da manhã embarcamos, finalmente. Imaginem para onde...Para regressarmos a Lisboa. Como não havia alojamento na Terceira, a TAP decidiu levar-nos de regresso a Lisboa. Era a minha 4ª viagem de avião (a primeira foi Porto-Lisboa). E lá fizemos nós, muito zumbis, mais uma viagem de 2horas e meia para voltarmos ao ponto de partida.

Chegamos a Lisboa às 3 da manhã, onde nos disseram que íamos ser encaminhados para um Hotel e que era lá que nos iam dar as informações todas...O que é certo é que tivemos mais uma hora e meia à espera para irmos para o Hotel. Já havia pessoas a dormirem nos tapetes das malas...
Ás 5 da matina chegamos finalmente ao Sana Metropolitan. Ganda luxo TAP!!! Temos direito a viagens bónus e hotel 4 estrelas sem pagar mais por isso...
Estávamos todos de rastos e fomos dormir.
Sinceramente eu pensava que ia voar logo de manhã mas...
Acordo às 8h e ligo para a recepção para perguntar se há novidades...Negativo...Volto a dormir...Volto a ligar as 10...Negativo! Mas aproveito e vou tomar o pequeno almoço (por conta da TAP). Foi o melhor pequeno-almoço da minha vida pois desde as 5 horas do dia anterior tinha comido apenas uma sandocha (maravilhosa ehehe).
Entretanto, os passageiros juntavam-se e discutiam. Fiquei a perceber o que se passava:


- O hotel ligava para a TAP mas ninguém atendia.


- Estavam aviões a aterrar na Horta.


- A TAP nada tinha feito por nós ainda.


- Estávamos ali abandonados à nossa sorte!!!!

Eu pensei que aquela podia ser a minha oportunidade para fazer uma reportagem mas deixei isso para os profissionais. Ligamos para as televisões...E qual não é o nosso espanto quando mal começamos a contactar a comunicação social a TAP liga-nos!!!! Mas que grande coincidencia!!!
Ficamos então a saber que iríamos ter um voo às 18h...
Como devem imaginar esse voo foi vivido com grande receio. Nós só queríamos aterrar na Horta. Quando aterramos todos suspiramos de alivio...Até houve quem se deitasse na pista de aterragem...

segunda-feira, agosto 31, 2009

Uma aventura com a TAP

Antes de andar de avião, tinha a ideia que era algo emocionante. Mas graças a TAP, a minha primeira viagem de avião superou as expectativas.

Voávamos há cerca de 2 horas e meia, até que se avista o Pico. Qual não é o nosso contentamento?! Chegamos finalmente. Vamos lá aterrar. Mal podia olhar pela janela, o sol feria-me os olhos. Mas à medida que íamos baixando de altitude, a janela cobria-se de um manto cinzento, até que a visão para fora do avião era interdita. Sentimos o avião voltar a subir. O pânico e a adrenalina estavam bem visíveis nas caras dos passageiros.

Para nosso alivio, fala-nos o comandante. Percebemos que devido ao nevoeiro cerrado não conseguimos aterrar e que temos mais 1 HORA DE COMBUSTÍVEL!!!!

Tentamos uma segunda vez sem êxito e passado 40 MINUTOS, uma terceira. Desesperadinhos, ouvimos o comandante a dizer que íamos fazer uma aterragem de emergência na ilha Terceira. Mas do que nos queixamos??? VIAGEM BÓNUS!!!!
Graças a todo este enredo, tivemos a oportunidade magnifica de conhecer o aeroporto das Lages (em vez de irmos directos para a Horta que era isso que queríamos. Oh não! se tivéssemos aterrado logo qual era a piada?).

Três horas de espera na Terceira, leva-nos a uma fome assoladora (estávamos há 7 horas apenas com a maravilhosa sandocha da TAP...Miam miam comida de avião). Então não é que depois de tantos manifestos nos deixaram ir para a sala dos comandantes!!!! Até parecia que tinha ido em classe executiva, mas não. Tínhamos direito a: chipmix, café, chá WHISKY 12 ANOS!!!!...ETC.. E tenho-vos a dizer que os comandantes têm muito bom gosto. A sala era bastante bem decorada e moderna. Bem o que é que acham que aconteceu depois???? Aceito palpites ehehehe



Venho mais tarde contar o resto. Até lá tentem adivinhar o desfeixo.

sexta-feira, agosto 21, 2009

terça-feira, julho 28, 2009

Mais um selinho

Quero agradecer à Carla Sousa, autora do fantástico blog Meus Apontamentos, que me presenteou com mais um selinho:


Regras:

1 Exiba a imagem do selo "Olha que blog maneiro"

2 Poste o link do blog que o indicou

3 Indique 6 blogs da sua preferência

4 Avise seus indicados

5 Publique as regras

6 Confira se os blogs indicados repassam o selo e as regras



Os meus 6 indicados:

O mundo de Susana III

Uma nova fase

Only words

Street legal Ad Hoc

Sinto muito...

quinta-feira, julho 23, 2009

Já podemos sair!!!


A tempestade desaparece lentamente, dando lugar aos raios quentes e brilhantes. O sol espreita, envergonhado, e seca as lágrimas caídas pelo chão. O céu clareia, traz uma nova esperança. E as multidões saem à rua. Já não se sentem desprotegidas. Esta luz dá-nos a segurança.
Os nossos corpos já não esfriam, podemos sair. Podemos caminhar de novo, por entre a alegria desta vida que percorremos. Os nossos olhos brilham! São o reflexo deste Sol que resolveu regressar...
As tempestades são fortes e causam danos. Mas são passageiras. E por de trás de cada nuvem negra, esconde-se um raiozinho que nos completa e ilumina o nosso passeio.

segunda-feira, julho 20, 2009

Os meus primeiros selinhos

Gostava de agradecer a Xuxy estes meus primeiros selinhos...E aqui estou pronta para responder ao desafio...


7 coisas que gosto de fazer:
  • Escrever é o tal talento que sempre procurei.
  • Adoro comer chocolate.
  • Passear sem destino...
  • I'm a shopaholic.
  • Sou viciada no Travian.
  • Sonhadora é o meu nome do meio.
  • Amo dançar.

7 coisas sobre músicas:

  • Sou super fã dos Within Temptation.
  • "Love story" de Taylor Swift faz-me sonhar.
  • Ouço diferentes tipos de músicas conforme o meu estado de espírito.
  • Ouço rádio todos os dias (Comercial e/ou Cidade FM)
  • Sei as músicas do 2 cd da Avril Lavigne de cor...Nunca me fartei!
  • Gostava de ter visto o Elvis vivo!
  • Nightwish é uma inspiração.

7 coisas sobre televisão e cinema:

  • O último filme que vi no cinema foi "Harry Potter e o Príncipe Misterioso".
  • Não gosto muito de filmes lamechas mas adorei a "Casa da Lagoa".
  • Para mim, o melhor filme de animação foi o Shrek.
  • Só tenho DVD's com filmes de terror.
  • Já consegui ver mais de 10 vezes "Romance Arriscado" graças à TVI.
  • Não perco "The Simpsons" ao domingo.
  • Foi com a "Rua Sésamo" que aprendi a ler.

7 coisas sobre países que gostaria de conhecer melhor:

  • Ir a Paris é um sonho.
  • Quero saber falar tão bem francês como falo português.
  • Gostava de ir a Barcelona (já passei por lá mas andei sempre :/).
  • Gostava de ir a Roma ver cada lugar descrito no livro "Anjos e Demónios".
  • Para mim, o melhor país para se viver, seria certamente os EUA.
  • A minha melhor amiga está no estrangeiro. às vezes quero ir ter com ela a Zaragoza.
  • Já pensei em ir estudar para fora.

7 coisas sobre cores favoritas:

  • Gosto de me vestir de preto.
  • O meu mundo é cor-de-rosa.
  • Não gosto de dourado apesar do seu significado.
  • Em tudo, uso muito as cores neutras...Ou o rosa.
  • Estou vestida de cor-de-rosa, uso uns brincos rosa e até o meu relógio é rosa.
  • A minha mãe odeia que me vista de preto.
  • Rosa e preto...Preto e rosa...Até o meu telemóvel é preto e rosa.

7 coisas sobre hobbies:

  • O meu blog é um grande hobbie, bastante terapêutico.
  • Sinto falta da natação.
  • Para que deixou de ter tempo livre com o 12º ano é difícil de falar em hobbies.
  • Ler BD, parece-me bem.
  • É complicado arranjar parceiro para o ténis.
  • Escrever, escrever, escrever...
  • Passo dias a jogar Monopoly. Nunca perco ;) (eu nasci para o negócio...acho eu)

7 blogues que me fazem sorrir:

sábado, julho 18, 2009

Não há nada como o comércio tradicional

Acreditem, esta história é totalmente verídica:
Ontem decidi passar um tempinho com a minha irmã que veio passar o fim de semana comigo (Só mora a 350 km e ela adora-me). Estávamos nós a conversar animadamente, quando passamos pela montra de uma sapataria, daquelas com preços bem APELATIVOS. Não é que umas sandálias malandras (e o seu preço) começam a piscar o olho à minha irmã? Como somos duas irmãs muito aventureiras, decidimos arriscar e entramos na dita sapataria. Mal colocamos as nossas PEGADAS no tapete de entrada do estabelecimento, fomos brindadas com um diálogo genuíno entre a funcionária e uma cliente que lá se encontrava. Percebemos, assim, que aquela loja proporcionava-nos um atendimento personalizado e diria até, quase intimo:

Funcionária: - Lebe essas berdes, amiga. Ficom bem cum tudo: c'o amarelo, c'o berde, c'o roxo e até c'o bege.

Cliente: -Mas estas pretas...

Funcionária: -Atão lebe as duas, amiga. Ficom-lhe tom benhe. E som baratas!

Cliente: Ambas são a 5€, não é?

Funcionária: -Som!!! Ó deixe ber...Não, as berdes som a 6. As pretas é que são a 5.

Cliente: - Aih que já me está a querer roubar.

Funcionária: - F*da-se!!! Eu não roubo ninguém, amiga. Beija aqui, as berdes som a 6, as pretas é que som a 5.

Enquanto a cliente se decidia, a funcionária da loja resolve começar a atender a minha irmã:

Funcionária: -Diga, amiga.

Mana: - Por favor, gostaria de ver aquelas sandálias (apontando para a montra).

Funcionária: - Ai, amiga, que eu acho que só tenho tamanhos grandes. O 38 dá?

Mana: - Eu precisava do 39 ou mesmo do 40, se faz favor.

Funcionária: - Ai, amiga!!!! Isso acho que lhe arranjo. Deixe-me ir ber àquelas caixas.

A funcionária dirigiu-se às caixas e enquanto procurava...Soltou um desabafo:

Funcionária: - P*TA QUE PARIU QUE NUNCA TENHO OS NÚMEROS QUE EU QUERO, F*DA-SE! Ó amiga desculpe mas não tenho.

Na tentativa de contenção de uma gargalhada, agradecemos e fomos embora.

quinta-feira, julho 16, 2009

Momento adolescente

Depois daquele sustinho e daquele escaldão, não voltei a apanhar sol. Mas bolas, é Verão! Decidi ir amanhã à piscina, mas para tal preciso de algo indispensável: o meu protector solar Ambre solaire da Garnier, factor 30.

A seguir ao jantar, juntei o útil ao agradável e ameio do meu passeio fui comprar o protector. Entro no hipermercado (não vou fazer mais publicidade, o Belmiro não me paga :P) e dirijo-me ao local onde o protector se encontra. No meio de tantas embalagens diferentes lá encontro o meu. Eu tinha apenas 12€ comigo e com aquelas etiquetas todas não se percebia qual era a do meu protector (estava tudo misturado, o costume...). Eu precisava mesmo de saber. Não podia correr o risco de:

-"Ah e tal são 13€ (Bela, eles só põem preços psicológicos). Pronto 12,99€."

-"Ah e tal, afinal não quero."

Então lá fui a uma daquelas máquinas que nos dizem o preço.

Eu passava e repassava a embalagem...Anda lá raio de máquina - murmurava entre dentes...Eu já transpirava e NADA! Até que aparece uma funcionária que me diz que aquela porra está avariada e me sugere ir à caixa perguntar o preço. Eu assim faço...Quer dizer mal vejo o operador de caixa desisto. Era o operador de caixa mais lindo que deve existir. Alto, elegante, olhos azuis, simpático(vá percebia-se que sim pelo sorriso)...Ah e também vejo uma fila enorme. Eu não ia passar por aquela fila para perguntar o preço da coisa. O rapaz ainda pensa que sou totó ou que não sei ver as etiquetas (por acaso...) ou que sou sovina demais...Naaaaaaaaaaaaaaa!!!! Eu vou é deixar de ser preguiçosa e vou procurar a etiqueta certa.

Mas...A funcionária continua naquele corredor...Ela vai perceber que eu não fui perguntar...Ah vai ela pensar que sou toto. Então andei pelos corredores, para não passar por ela, olhando para um lado e para o outro para não ser apanhada e consegui atravessar o hipermercado sem ser vista.

Descobri que tinha dinheiro suficiente e aí regressei à caixa.

Vá sorrio e digo boa tarde? Um sorriso subtil...Olho-o nos olhos?...Oh, ainda por cima estou toda despenteada.

Eis que abre uma nova caixa. Não tenho coragem nem tempo, vou apenas contempla-lo de longe (cobarde!!!)

Mas quando é a minha vez, ele troca com a colega e atende-me: (parece de propósito)

-Boa tarde! (que voz lindaaaaaaaa!!!)

-Boa tarde! (sorriso parvo, o meu)

-Cartão M....(de poucas palavras, deve ser tímido ehehe)(Chama-se Carlossssssssss)

-Não tenho (oh não, não tenho cartão, o que irá pensar?)

-Posso ficar a dever-lhe 1 cêntimo?

-Siiiiiiiiiiiiiiiim (podes ficar a dever o que quiseres e também me podes tratar por tu)

É assim que eles nos ficam com o dinheiro. Um cêntimo nisto, outro cêntimo naquilo...Depois põem aqueles meninos giros na caixa e ninguém lhes consegue dizer que não.

Respira Bela, respira...

terça-feira, julho 14, 2009

Opções de vida

A vida pensa-se em anos e actua-se em segundos. São indecisões e certezas. São sonhos e realidades. São promessas e vontades. O futuro espreita-nos diariamente e a cada momento o traçamos.
Um dos grandes passos já está dado. Já me candidatei ao ensino superior. Foi tão fácil de o fazer e tão difícil de decidir como.
Vou partilhar convosco as minhas opções:
.
1º Gestão na Faculdade de Economia da Univ. Porto
.
2º Economia na Faculdade de Economia da Univ. Porto
.
3º Ciências da Comunicação: Jornalismo Assessoria e Multimédia na Faculdade de Letras da Univ. do Porto
.
4º Gestão na Universidade do Minho
.
5º Economia na Univ. do Minho
.
6º Ciências da Comunicação na Univ. do Minho
.
Preenchi as 6 opções mas sei que as 3 primeiras bastavam...Foi só porque me apeteceu...:D

sexta-feira, julho 10, 2009

novo look

Apeteceu-me mudar um bocadinho...Algo mais rosa...Algo mais eu.
Ao fim de 3 anos espero habituar-me.
Boa noite!!!!

Distracção crónica

Olhem-me só o que eu escrevi no exame de História:
"No fim da 2ª guerra mundial, as ditaduras quase desapareceram em Portugal."
Eu queria dizer Europa para a seguir falar no caso Português, tá???
Devia ser para rimar...
Distracção crónica, não há hipótese!

Humanos que me desiludem

Estar sozinha, em plena comunhão com a Natureza, sempre foi uma situação da minha preferência. Inscrevo-me no natural e no menos humanizado possível. É que o Homem, apesar de fantástico, poderá tornar-se no mais repugnante ser.

E de um vasto conjunto de justificações pra esta última afirmação, escolho a falta de valores para divagar um pouco.
Como é perceptível em posts anteriores, a minha grande dúvida em relação ao meu futuro debate-se entre gestão e comunicação social. São diferentes factores que pesam ora para um lado, ora para o outro. A uma semana de me candidatar à faculdade, a minha escolha é gestão, mas sem certezas.

Voltando ao assunto em questão. Desejo avidamente ter sucesso em qualquer situação em que me incido. Luto e dou o meu melhor para atingir os meus objectivos, assumo-me como grande ambiciosa. Faço tudo o que estiver ao meu alcance, tudo menos prejudicar alguém e ir contra os meus valores. Não sou capaz.

Mas numa reflexão profunda e solitária, apercebo-me do que me rodeia neste mundo social. Passar por cima dos outros é o nosso dia-a-dia. Eu já assisti bem de perto a isto mesmo e já me senti prejudicada. Eu não sou capaz mas há quem seja. E, eu como futura estratega empresarial que pretendo ser, sei perfeitamente das manobras existentes nas empresas. Toda a gente o sabe.

Agora penso, para ser estratega e atingir o sucesso esperado terei que esquecer que tenho valores? Irei contra aquilo em que acredito? Ou, poderei destacar-me sendo justa e HUMANA?

Ou, por outro lado ainda, ser HUMANO é isso mesmo, não ter escrúpulos?

Estou no mundo errado pois estou?


quinta-feira, julho 09, 2009

Sonho?????

Sonho é a morte do impossível. É a vida da vontade. É atingir o que os nossos braços curtinhos não tocam. É a facilidade de voar.

Somos donos de nós próprios e do nosso rumo. Traçamos o caminho nas nossas direcções. Sentimos o poder e tudo nos serve.

O mundo real torna-se pequenino. Desejamos liberdade. Sonhamos e expandimos este lugar que se torna mágico, este lugar que transformamos e que só a nós se deve...

Liberdade????



A liberdade? A liberdade é para todos ou é so para alguns? Liberdade é real ou é mito?


Se for atingida sentimo-la? A liberdade sente-se?


A liberdade? A liberdade constrói-se ou aparece construída? Simplesmente aparece ou teremos de a procurar?


A liberdade? A liberdade conquista-se? Eu não quero impérios nem colónias. Só quero ser livre.


A liberdade? A liberdade é no céu ou na terra? Ou será ser da terra e estar no céu?


A liberdade? Esconde-se? Foge? Ou avança na nossa direcção? Eu procuro-a e avanço para ela.


A liberdade? Sou eu? És tu? Ou não é ninguém?


terça-feira, julho 07, 2009

O que um sorriso faz!

Não vale a pena ficar a chorar o dia todo. Para me animar um bocadinho decidi cortar o meu cabelo. Corria sempre o risco de ficar pior pois já tive a má experiência de entrar em "DPCC" (depressão pós corte de cabelo). Os cabeleireiros gostam muito de cortar demais. Pede-se para cortar 2 cm e eles cortam 20...E depois eu é q tiro 14,6...ok eu páro.
Mas desta vez fui a uma cabeleireira que adora o meu cabelo comprido. Ela disse-me logo que era "um pecado" cortar muito, algo que me agradou bastante. Cortou só à frente e deixou o comprimento atrás.Não vale a pena, eu vou gostar sempre de cabelos bem compridos e só cortei porque realmente estava a precisar. Deve-se cortar o cabelo de vez em quando para ele permanecer saudável. Eu cá raramente corto por causa dos exterminadores de cabelo, cabeleireiros digo.
Mas ficou bem, isso é o que interessa. A tal cabeleireira cortou-me e depois pediu à "assistente" para me esticar o cabelo, pois tinha clientes à espera. Eu estava, seguramente`, há 15 minutos nas mãos delas e já estava a transpirar. O meu cabelo estava tudo menos esticado e só se via electricidade estática. Ela também transpirava, que eu sei. Isto de ter cabelo rebelde e encaracolado é difícil mas bolas, ela devia ter um pouco de experiência. Até eu conseguia esticar melhor. Bem, estava a pensar coisas feias daquela menina até que...Ela me sorri e começa a falar comigo muito simpática. Não é que fiquei logo com outra cara. Passei a gostar daquela rapariga. Simpatia e sorrisos fazem magia, a sério...
No fim, ela pegou num modelador e ficou tudo lisinho...

Desilusão escasseia as palavras

Acho que estou mais calma. Agora acho que me sinto capaz de dormir. A choradeira acabou mas a desilusão permanece. Ainda não acredito. Ter 14.6 a Matemática??? Nunca pensei. Acho injusto. Eu esforcei-me tanto, eu estudei tanto, era tão fácil...Eu nunca tirei tão má nota a matemática e teve logo de ser na prova mais importante de todas. Penso que é mentira. Como é possível??? Estou mesmo incrédula.
Por muito que matemática seja aquele bicho papão (algo que não concordo), é bem mais fácil tirar 19 num exame do que num de português. Eu não estudei rigorosamente nada para português e o que é certo é que tive 19. Eu sempre fui muito melhor com números do que com letras. Sempre ui muito racional. Ok, ok, sempre gostei de escrever mas nem era nada de especial. Matemática é que era aquela coisa. Se calhar, ter andado em letras desviou-me, não sei.
A minha média baixou dos 18 para 17.48. Penso que entro em gestão. Não está baixa, mas é sempre aquele orgulho ferido, aquela mágoa. E pensar que cheguei a tirar 19...Mais, tinha 18 e anulei.
Não vale a pena pensar mais nisso. Já pedi para ver o exame e vamos lá ver se vale a pena meter recurso...
Pronto, fiz o secundário. Dia 13 começam as candidaturas à faculdade. Terminou uma etapa. Uma grande guerra com batalhas ganhas e outras perdidas. Em quantidade, foram mais as ganhas, mas as poucas perdidas foram devastadoras.
Nem consigo terminar...Fica assim...

segunda-feira, julho 06, 2009

Passei

Acabei o secundário!

Português: 19
História: 15
Matemática: 14.6

Não, não me sinto nada contente. Acho que é fácil de perceber porquê. Eu dou umas pistas:
-Vou concorrer a gestão
-A minha disciplina preferida é matemática -O exame de Matemática foi o que me correu melhor
-Estudei centenas de horas para Matemática

Vai para casa :(

Quando parar a choradeira venho explicar.

Medo 2

Não sei se estou preparada para a verdade. É muito pesada. O meu futuro, é o meu futuro!!!!
Meia noite!

Medo

É à meia noite!!!!
O medo consome-me a cada minuto que passa.
Se eu reprovar eu não sei...Vai pôr em causa a minha vinda para o Marco, a minha decisão. Que o preço a pagar pelo fim do meu pesadelo não seja demasiado elevado...

Será????

Falta tão pouco tempo para sairem as notas dos exames. Será que eu passo a história???

sábado, julho 04, 2009

O inicio de uma nova relação

Meu querido telemóvel:

Ainda me lembro da primeira vez em que te vi. Achava-te tão moderno e avançado. A qualidade da tua imagem era tão superior à que estava habituada e tinhas tantas funcionalidades. eras de terceira geração. Que entusiasmo!!! O teu antecessor nada era em comparação contigo. Passamos tantos momentos juntos. Foram telefonemas de alegria e de tristeza, mensagens curtas e de multimédia...Foi contigo que fiz a minha primeira videochamada. Registamos tantos momentos e tantos lugares com a tua camarazinha de 1.3 megapixel. Foi uma paixão forte!

Mas as paixões não são eternas e há sempre o momento em que começam as desavenças.

Muitas foram as tuas quedas e os riscos começaram a surgir. Já não eras assim tão atraente... Começaram a aparecer telemóveis mais giros e com imagens melhores. As tuas fotos já não me satisfaziam. Não te ficaste e começaste a tua vingança. A tua bateria durava cada vez menos e morrias de vez em quando (quando mais precisava de ti). Desligavas a chamada na cara dos meus amigos fazendo-me passar por mal educada e ficavas sem bateria quando era urgente falar com alguém.

Tanto que aguentei e cada vez estavas pior. Nem com as minhas ameaças melhoraste.

A nossa relação tão próxima durou 4 anos (há casamentos que duram menos). Mas chegou a hora do divórcio. Conheci outro. É muito mais atraente e feminino. Tem muitas mais funcionalidades, tem uma câmara com 3.2 megapixel e não me vai deixar ficar mal tão cedo. Foi amor à primeira vista. Lamento que isto tenha de acabar assim mas já era uma relação insustentável.

Vou seguir a minha vida com o meu XpressMusic 5610 :D :D :D

Bela

menina feia, já aprendeu

Menina feia descuida-se e os castigos são demasiado duros. Já não bastava parecer uma lagosta, o que é de facto muito pouco sexy, também tenho de aguentar umas dores insuportáveis...já para não falar do peso na consciência com que estou!!!
Eu sei quem vai passar a pôr protector de 5 em 5 minutos, sei sei. À primeira ainda se tem desculpa (ou não, visto que é mais que público que Sol a mais provoca cancro de pele), mas à segunda só cai quem...pronto, era capaz de ser indelicada.
Já apreendi a lição, juro!!!
Agora podem pôr a minha pele no estado normal???
Por Favor!!!

quinta-feira, julho 02, 2009

Fiz asneira

E parece que nem chuviscos nem frio atrapalharam o meu dia de praia. Muito pelo contrário. O sol estava bastante forte... E o meu corpo que o diga...
Eu nunca na minha vida apanhei um escaldão, nunca mesmo. Normalmente dava na cabeça às pessoas por não se protegerem e sempre me pus branca com o protector.
Mas parece que por castigo...Chegou a minha vez. E eu fartei-me de pôr protector. É para vermos como o Sol está forte, não devemos mesmo arriscar. Há que ter muito mas mesmo muito cuidado.
Eu olho para o lado e vejo as minhas amigas todas vermelhas. Alerto logo:
-Ponham protector.- eu faço sempre a voz da consciência.
Estava a regressar e a pensar:
-Elas parecem umas lagostinhas mas eu estou aqui muito bem...Esta gente não tem cuidado.
Chega a hora do banho e percebo que estou mais vermelha que um tomate maduro. E doí!!!!!!!!
Ora bolas, que moral tenho eu agora para falar?
Protejam-se...Ah! E atentem bem neste conselho:
Nunca desafiem a força da Natureza. O Homem nada pode contra esta!

quarta-feira, julho 01, 2009

Praia :D

Amanhã: primeiro dia de praia deste ano. :D
Se o tempo ajudar...Não estou a achar muita piada a estas nuvens que passam levemente no céu como quem diz ola, não, não...

terça-feira, junho 30, 2009

É desta!!

Por mais que projecte e idealize, não consigo concluir as tarefas que me proponho desempenhar. desde manhãs de corridas à beira rio a mudar o meu quarto, nada passa da fase projecto. As ideias são boas, mas pô-las em prática...
Já me propus várias vezes escrever uma história, já que tenho este fascínio pela escrita. Começar é fácil mas acabar...
Aqui há uns dias pensei:
-Bela, estás de férias. Por incrível que pareça, tens montes de tempo livre (isto depois de 15 dias a marrar até parece estranho). Bora lá escrever uma histórinha.
Quando não tinha tempo, as ideias era muitas. Agora que passo o dia a não fazer nada produtivo, não tenho nenhuma ideia de génio. Ora bolas. :(
Na verdade...Não TINHA nenhuma ideia de génio. Ao contrário dos meus dias, a minha noite foi bastante produtiva. Não é que sonhei com a própria história que vou escrever. Acordei e pensei: é isso mesmo! Vou adaptar o meu sonho a uma história escrita com a minha imaginação e alguma pesquisa.
Não, não vou contar o sonho...Primeiro vou fazer uma pesquisa, imaginar umas coisinhas e escrever a história com base nestas horas de sono fantásticas. Quando estiver tudo pronto sim, partilho convosco a minha história.
Desejem-me sorte e não me deixem desistir.

domingo, junho 28, 2009

A minha colecção :D

Acho que nunca falei aqui da minha grande tara por brincos. Há muitas mulheres que têm uma grande colecção de sapatos. Eu cá tenho de brincos. Não é bem uma grande colecção, é só uma colecção...Para já.
Ainda m lembro quando chateei a minha mãe para ela me deixar furar as orelhas. Normalmente as mães furam as orelhas às suas filhas quando estas ainda são bebezinhas. Mas como em muitas outras coisas, a minha querida mamã tinha que ser diferente. Tinha eu 13 anos e as minhas orelhinhas por furar. E olhava para a minhas colegas, e olhava para os brincos nas lojas, para os brincos nas mulheres...Eu também queria.
-Mamã, posso furar as orelhas?
-Não.
-Porquê?????????????????
-Porque um dia podes não querer e fica a marca.
Hoje sei que esta justificação não faz qualquer sentido. Na segunda vez que furei as orelhas (às escondidas da minha mãe) a mulherzinha que devia ser proibida de executar tal actividade furou-me no sitio errado e eu fui obrigada a deixar tapar. Hoje nem sei onde ela furou...Não se vê.
Mas eu percebi a minha mãe, que já tem uns aninhos. Furaram-lhe as orelhas com um prego quente, coitadinha. Ficou com um trauma. Mas agora não é assim mamã.
-Mamã, já sei o que quero para o Natal.
-O que é?
-Furar as orelhas!:D
-GRR. Estás por tua conta e risco.
E lá consegui...
Mas foi a partir dos meus 15 anos que comecei a comprar brincos com alguma regularidade, sempre que a minha curta mesada permitia. Ao fim de três anos conto com 37 pares. Se a minha matemática não me atraiçoa, este número significa, que adquiri 1 par todos os meses. Diga-se que a minha mesada não dá para andar a comprar supérfluos todos os meses, o que faz deste número, algo considerável, ah pois... Vamos lá ver quantos vou ter daqui a 3 anos. E quantos terei quando realmente começar a ganhar...
Eu já me proibi de entrar em lojas de bijutaria. Passo e ando.
É que a minha carteira não aguenta...

quinta-feira, junho 25, 2009

Baile de Finalistas

E porque o meu secundário foi feito de momentos de luta, de sofrimento e de vitórias, há que o recordar com um sorriso. Há que acreditar que me construiu. Há que acreditar que me fez mulher. Por último, há que festejar. :D








Por orgulho e convicção...

A vida coloca-nos desafios que somos obrigados a aceitar. Por vezes com incerteza, levamo-los até ao fim. Por orgulho, por convicção ou simplesmente porque tem que ser.

Nas últimas semanas tive a preparar-me para o grande desafio de todo o meu secundário. Tive a preparar-me para o dia em que iria realizar os dois exames mais complicados, aqueles que iria realizar como externa. Enfrentar esses dois monstrinhos num dia só...

Por orgulho e por convicção, dei o melhor de mim e deixei tudo para trás. Durante duas semanas a minha vida passou a ser aqueles dois exames. E porque tem que ser, na terça feira fui prestar provas para Matemática e História.

Na véspera o desespero consumia-me. Duas semanas não substituem um ano inteiro de trabalho. Não é que não tenha trabalhado durante o ano, mas como só agora me iriam pôr à prova...É sempre diferente. Nunca me tinha sentido tão mal preparada, nunca me tinha esforçado tanto e para concluir, nunca tinha enfrentado provas de tanta responsabilidade.

Porque a razão e a lógica me corre nas veias, senti-me confiante na hora em que virei a página do exame e comecei a resolver todos aqueles exercícios. Se não fossem as minhas distracções habituais, tinha corrido tudo bem...Mas nem esse atinge o meu objectivo...

Sim porque História...O exame de História fez com que eu sentisse que tinha desperdiçado 2 semanas da minha vida. É que 3horas ainda se aguenta, mas quando se vai para a quinta a realizar exames que pedem tamanho esforço intelectual, as falhas começam a aparecer.

Há batalhas que se ganham, há outras que se perdem. Por orgulho e por convicção projectei um objectivo. Talvez por uma lição não o alcancei. Nunca soube lidar muito bem com projectos falhados...Melhores dias virão...

quarta-feira, maio 20, 2009

O vestido :D

Hoje fui provar o vestido para o meu baile de finalistas. É azulinho, curtinho, caicai...É lindo!!! Perfeitinho para o grande dia.
Eu nem acredito que já estou no fim do 12 ano!!!! Como o tempo voa!!!

segunda-feira, maio 18, 2009

A fantasia chegou à matematica!!!

Segundo o sr dr tenho que estudar todos os dias para os exames que depois estou de ferias até Dezembro. É o que estou a fazer :D
Já tenho o livro de preparação para o exame de matematica A. É sempre a dar-lhe.

Por falar em Matemática? Números imaginários??? Para o que lhes havia de dar!!! Já não existem suficientes???

domingo, maio 17, 2009

stress

A minha ausência neste blog deve-se a uma mistura de:
- AP (que acabou na quinta e muito mal acabado),
- últimos testes,
- baile de finalistas,
- exame de português, historia, matemática
- matéria(muito) atrasada de matemática
- imprevistos que acontecem todos os dias...
Haverá quem aguente???

segunda-feira, maio 04, 2009

Sociedade: "Espelho de almas vazias"

A sociedade é um palco. Nós somos os actores. Todos representamos. Fazêmo-lo tão bem que chegamos a perder a nossa própria identidade. Escondemo-nos por de trás de figurinos tão apetrechados que nos tornamos irreconheciveis. Passamos a ser o papel que assumimos.

Há momentos em que quero sair desse palco. Quero tirar o traje tão fantasiado que me sufoca, mas este parece colado ao corpo. Sinto-me vazia e falsa. Sinto-me coberta por uma capa que não deixa que me vejam, que não me deixa ver quem sou.

E olhando para quem me rodeia vejo pessoas tão iguais: as mesmas caras, as mesmas roupas, os mesmos sentidos, as mesmas mentalidades. Não há identidade, não há nomes, não há personalidades. Apenas uma sociedade homogénea: um espelho de almas vazias!

Não me identifico com este padrão. Mas ainda não descobri a minha identidade. Quem o descobriu?

Serei o que sou ou o que querem que seja? Não aceitam a diferença. Será que eu própria aceito?
Teremos nós medo que descubram o que está dentro de nós? Ou talvez que nós próprios descubramos?
Teremos medo de ser alvo de criticas? Então porque somos tão críticos?
Afasto-me da multidão. Refugio-me na solidão de quem vive acompanhado pelos queo ouvem mas não lhe falam.Fujo dos olhares críticos e dos juízos mal formados. Misturo-me com o simples e natural. Encontro-me comigo própria, porque às vezes é preciso estar connosco; estabelecer um diálogo; perguntar "quem és?"; pedir "fala-me de ti, diz-me o que sentes, diz-me o que queres." É afastada de espaços vazios de multidão que encontro quem mais procuro. Quem se escapa por entre a insegurança. Fecho os olhos e respiro ar puro. O ar de quem encontra a liberdade. Pinto o meu mundo com as minhas cores. Dou-lhe formas inéditas e sorrio. Encontro um ser único e especial. Um ser tão doce que apetece trincar. Um ser tão frágil que apetece andar com ele ao colo. Um ser tão brilhante e grandioso que passo a idolatrar. Todos temos este ser, mas poucos o encontram.
Regresso à sociedade. Assumo o meu brilho por entre almas escuras. Se te choca, olha para dentro de ti. Afasta-te de esteretipos e preconceitos. Encontrarás a tua própria diferença e reconhecer-te-ás como único e especial.
Porque a sociedade é um palco. Nós somos os actores. Todos representamos. Porém, cada um desempenha um papel diferente. O seu próprio papel.

domingo, maio 03, 2009

Um dia Nós!

Ser EU e AMAR-te são incompatíveis pois amar-te implica inserir-te nos meus SONHOS...
.
Por que te quero tanto se não és nada em minha essência?
.
Porquê ou eu ou tu e não
NÓS?

Homens!

Podemos perder uns quilos (ou ganhar no meu caso), cortar o cabelo, comprar roupa nova, fazer uma maquilhagem que nos favoreça...Que eles não reparam!
E se dizemos alguma coisa, ainda nos chamam chatas com as nossas manias de mulheres!!!
Mas se forem as outras, já são as "GAJAS BOAS"!!!
GGGGGGGGGRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR
Homens!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, maio 02, 2009

ÀS 3 DA MANHÃ!

Quero escrever!!!!
Inspiração COME BACK!!!!!!!!!!!!

noite pa mim :(

É nestas alturas que sinto falta de um ordenado , independência e do meu BMW.
Sábado à noite : QUERO IR DANÇAR!!!!
SNIF SNIF

Devem me confundir...

Há coisas que me irritam profundamente!!! E uma delas é estarem sempre a lembrar-me que eu sou uma Oliva Palito!!!
Vá, eu nunca fui gorda e já toda a gente sabe disso. Acho que 18 anos de magreza é suficiente para a comunidade saber que a Bela é "fininha".
É um facto que estou a aumentar o meu peso, 49kg é o meu recorde. Isso é visível até mesmo na roupa. É que eu controlo isso muito bem.
Mas há sempre aquelas pessoas muito simpáticas, que sempre que me vêem dizem:
-"Bela, 'tás cada vez mais magra!!! Daqui a pouco desapareces!"
Desculpem, já alguma vez me viram mais gorda que isto? Não estarão a confundir-me com alguém????
GGGGRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

sexta-feira, abril 24, 2009

Conflito de gerações

Não é só a idade que nos separa dos nossos pais. Há também um conjunto de ideais, crenças, hábitos, gostos e objectivos que fortalecem uma barreira que se impõe. Esta deveria ser ultrapassada com comunicação, mas nem sempre é possível. Nem sempre conseguimos ouvir e fazer-nos ouvir.
Dão-nos a vida, acompanham o nosso crescimento, transmitem-nos valores e educam-nos...Somos deles. Mas há um dia em que passamos a ser do mundo, o mundo que ansiamos. Não somos sua propriedade, temos uma personalidade!
Eles querem nos proteger. Querem para nós, a paz e estabilidade vivida até então. Querem nos fazer passar as suas aprendizagens. Aquelas que foram resultado das suas vivências, das suas situações. Esquecem-se que estamos sedentos de viver. Queremos passar pelas nossas situações, tirar as nossas próprias conclusões. Os sonhos de meros adolescentes tornam-se numa realidade a alcançar. Transformam-se em batalhas das quais não desistimos de lutar. Não nos prendam, não nos amordacem. Deixem-nos descobrir novos tesouros. Deixem-nos recolher ensinamentos pelas nossas próprias mãos. Deixem-nos voar. Ansiamos liberdade. Sonhamos caminhar por esse mundo desconhecido e escolher o nosso lugar.
Só nos queremos tornar nós próprios por nós mesmos!
Defendem o que passou; um conjunto de memórias que fazem deles o que são, das quais se orgulham. Mostram-se pouco receptivos ao que há de vir, ao que queremos trazer. Deixem-nos, também, ter orgulho.
Somos um novo movimento, uma nova geração. Queremos, também, pincelar o quadro da sociedade, mas com outras cores. Queremos dar vida ao que entra em decadência, renovar o que envelhece, marcando pela diferença.
Ouçam-nos! Não nos vamos calar!

segunda-feira, abril 13, 2009

Voltei!!!! Breve resumo de Lloret...


Saudações! Pois parece que moi je voltou ao seu velho vicio de escrever. Já regressei há mais de uma semana de Lloret mas não consegui vir até aqui, pelo que peço imensas desculpas aos meus seguidores.

Para retomar os meus posts, nada melhor que falar um pouco da minha viagem.


Pois bem, quando ouvirem dizer que Lloret é sinonimo de noite, álcool e excessos, podem acreditar. De facto é o que acontece. Confesso que quando me diziam isso, pensava sempre que era um exagero...Mas não. Para quem não está habituado a sair à noite, Lloret mostra realidades que chocam bastante. Na mesma semana vi gente completamente embriagada como nunca tinha visto, vi droga e vi rapazes a aproveitarem-se de raparigas que não estavam de todo no seu estado normal. Houve estudantes de outra escola que vandalizaram o hotel onde me encontrava. Cheguei a sentir medo em alguns momentos. Naquela pequena vila, que é mais portuguesa que espanhola, acontecem mais coisas num dia do que aqui num mês.


Mas desenganem-se se pensam que em Lloret é tudo mau. Acontecem apenas "pequenos" incidentes porque fora isso...Apesar de haver sempre quem não se sabe comportar, a noite de Lloret é espectacular. Corremos bares de géneros e feitios diferentes, cada um melhor que o outro. O mais giro era o espírito de união que havia. Saíamos todos juntos. Éramos um grupo de cerca de 40 pessoas.Isso deu-me muita segurança.


Uma das sensações mais espectaculares que senti em LLoret foi ver grupos de portugueses, que não se conheciam de lado nenhum, a cantarem todos juntos. Era algo constante tanto nas ruas como nas varandas dos hóteis. É completamente indescritível e único.


Algo obrigatório nesta viagem é a ida ao Portaventura. Aquilo é simplesmente fantástico! O momento alto da minha viagem foi quando passei de 0 para 135km/h em apenas 3 segundos. O Portaventura tem diversões espectaculares e está muito bem decorado. Adorava lá voltar!


Tive muita pena de não poder fazer praia, por azar o tempo estava muito desfavorável. Passei muito frio...É que aqui a Anabela, muito crente, só levou roupinha de verão e bem sonhou com o seu casaquinho de inverno...


Quanto à "papinha", digamos que fiquei enjoada de fritos para um ano. Não se comia lá muito bem...


Haveria tanto para contar mas é me completamente impossível.


Resumidamente: adorei Lloret de Mar. Diverti-me como nunca me tinha divertido...e as coisas más...Apenas serviram para ver uma realidade que existe e que me era desconhecida.


Foi das experiências mais ricas da minha vida!


sexta-feira, março 27, 2009

Até breve

Bem, acho que tenho algumas coisas a explicar. Estive um pouco ausente do blog pois o final do período escolar é sempre muito stressante. São teste para estudar e trabalhos para entregar, o que me faz não ter muito tempo para as coisas que gosto. Posso dizer que o esforço valeu a pena...Um 18 a Português já cá canta!!!!:D
Bem, na verdade tive um pequeno descanso do trabalho no ultimo fim de semana mas não deu para vir cá. A Inês (a minha melhor amiga) veio de Espanha para passar cá o fim de semana e como devem imaginar, não a larguei. Foi aproveitar e fazer as nossas maluqueiras na sexta e no sábado à noite (mas com juízo).
Pois, na verdade eu vou continuar sem publicar aqui os meus textos...Desta vez sou eu a ir a Espanha. Estou de partida para a minha viagem de finalistas a Lloret del Mar. Às 19h30 de hoje parto e não devo chegar ao destino tão cedo já que vou de autocarro.São cerca de 16 horas de viagem!!! Eu nem quero pensar. Tanto tempo num autocarro é um bocado mau!!! Mas pronto, sou jovem e há que cometer algumas loucuras pequeninas. Esta viagem vai fazer-me bem. Preciso de estar um pouco longe de certas rotinas, de certas pessoas, de certos sentimentos...
Não sei se irei ter tempo para escrever, provavelmente não. Mas prometo, quando chegar venho cá dar noticias. Voltarei com os meus textos e contarei um pouco desta minha experiência. É só uma semaninha :D

sexta-feira, março 13, 2009

Sabem?

Sabem o que é que temos de ser nós a fazer pois mais ninguém vai fazer por nós???
Viver!

terça-feira, março 10, 2009

Como as coisas mudam...

Ainda me lembro daquela vez em que quis fazer parte do grupo dos mais velhos...Não devia ter mais que 8 anos. A minha irmã e uns amigos da sua idade, ou seja bem mais velhos que eu, encontravam-se a jogar monopoly...e eu a ver. Não sei porquê mas sempre tive um grande fascínio por esse jogo de tabuleiro. Desde cedo se adivinhava que o meu futuro passava por empresas, dinheiro, etc.. Fiz uma enorme birra porque também queria jogar. Mas acham que eles deixaram? Óbvio que não. Eles não iam jogar com uma pirralha.
Hoje com 18 anos ando constantemente a pedir a uma menina de 10 anos para irmos jogar ténis. Eu adoro ténis mas falta-me parceiro. Consta-se que ela é uma campeã! Sabem o que ela me responde????
-"noutro dia, hoje tenho ginásio." ou "esta semana não, tenho torneio."
Desculpem...O que é isto? A miúda com menos 8 anos é bem mais importante e ocupada que eu!!! Ela devia implorar para jogar comigo!!! Como as coisas mudam...Anda tudo trocado!

domingo, março 08, 2009

Hoje sonhei...

Terminei há muito pouco tempo o curso de jornalismo. Não consigo conter o entusiasmo. Só quero começar a trabalhar. Quero investigar, escrever, captar imagens e mostrar o meu trabalho ao mundo. Quero conhecer novas realidades, quero perceber certos porquês, quero ver o que nunca vi e partilhar.
Está a ser muito difícil encontrar emprego. A procura é muita e a oferta tão escassa. Concorri para um lugar num jornal e fui chamada para a entrevista. Cheguei à redacção e dirigi-me a um rapaz que parecia um recepcionista. Expliquei-lha para que ali estava. Muito simpático e sorridente respondeu-me:
-Sim, sim, a doutora vai já recebê-la.
Conduziu-me ao gabinete onde se encontrava a mulher que me iria fazer a entrevista.
Desde logo se fazia notar a grande diferença entre nós. Eu vestia umas calças de ganga e uma t-shirt. Calçava umas sapatilhas e usava uma mala tiracolo. O meu cabelo encontrava-se amarrado. Aquela mulher era bem mais elegante. Vestia um blazer e uma camisa. Como estava sentada não conseguia ver o resto mas devia usar umas calças que fizessem parte do fato e uns sapatos de salto. Apresentava-se muito bem maquilhada e penteada, usando o seu cabelo loiro solto. Evidenciavam-se os seus brincos compridos e brilhantes que deviam ser de prata. Certamente era da minha idade mas parecia bem mais velha...ou eu mais nova. Ganhei-lhe logo respeito.
O próprio gabinete contemplava uma certa elegância. A janela que se estendia à esquerda chamou-me a atenção. Dela podia ver-se o mundo que se encontrava lá fora. Aquele que eu quero descobrir e explorar.
Aquela mulher pareceu-me bastante acessível. Pediu-me o curriculum, fez perguntas sobre os trabalhos desenvolvidos no meu curso e sobre as minhas experiências no campo da comunicação. Perguntou-me se estava disposta a deslocar-me para qualquer lugar e trabalhar qualquer tipo de tema. Respondi-lhe sempre afirmativamente. Mostrei-lhe o meu espírito de aventura dizendo que aceitava qualquer trabalho, investigava o que fosse necessário e ia para qualquer lado. Gostava de conhecer mundos diferentes. Ao falar-lhe olhava discretamente pela janela. Ambiciono,com fervor,tudo o que está para além desta. Fiz-lhe ver a minha vontade e garra. Considero que a entrevista correu bem. Estava à espera de algo assustador e tal não foi...Talvez porque luto pelo que tanto quero.
Em contraste com o meu entusiasmo, aquela mulher permanecia bastante calma. Não me pareceu tão aventureira como eu sou. Perguntei-me que faria ela naquele jornal.
Estava tudo nas mãos dela. Era ela que tinha o poder. Ela iria decidir o meu futuro, se ia ou não concretizar o meu sonho.
No fim da entrevista não resisti e perguntei-lhe:
-Que curso tirou?
Ao que ela respondeu com uma simplicidade que nada a caracterizava:
-Gestão.

Observando...

Nunca fui muito adepta de domingos. O facto de ficar em casa sozinha a estudar ou a fazer qualquer outra coisa menos interessante nunca me agradou em nada. Decidi vir tomar o meu cafezinho à cafetaria e estudar um bocadinho. Sempre estou rodeada de gente e não estou em casa. Mas o meu ódio à psicologia é tanto que nem aqui sou capaz de estar atenta ás palavras deste livro. A solução é adiar o estudo até não poder fugir mais. Resolvi escrever. Até para isso o tempo é escasso. Sempre aproveito este domingo para fazer algo que gosto.
Aqui, nesta cafetaria, vê-se as pessoas a ocuparem o seu domingo de formas distintas.
Eu, para aqui permaneço a um canto mas com uma ampla visão. Posso observar discretamente tudo e todos os que me rodeiam. Permaneço sozinha, a escrever depois de ter tomado o café que se tornou regra.
À minha direita encontra-se uma rapariga a lanchar. Estava sozinha tal como eu mas entretanto chegaram outras duas que agora lhe fazem companhia. Não sei se foi propositado ou ao acaso, mas ficou formado um grupo que conversa sobre as trivialidades que as raparigas conversam...
Na minha diagonal esquerda encontra-se um rapaz, sozinho tal como eu. Logo que chegou, despertou a minha atenção. Atrevo-me a dizer que é bastante giro e bem-parecido, nada indiferente aos olhos de qualquer mulher. Este lê atentamente um jornal. Não consigo perceber se espera por alguém mas arriscaria dizer que sim pois olha para o seu telemóve repetidas vezes.
À minha frente encontra-se um rapaz um pouco mais velho que o primeiro e com um ar bem menos vistoso. Está também sozinho e guarda um carrinho de bebé. Parece impaciente e tem um ar de tédio. Cada um faz as suas escolhas para a vida. Depois terá de arcar com as consequências.
Sei que tenho muito para estudar mas isso agora pouco me importa. Hoje estou mais virada para a minha criação e para a minha liberdade.
E permaneço siozinha observando dezenas de pssoas que passam por mim,c ada uma tão diferente dos restantes...E eu sempre igual a mim própria dando sentido aos sinais, aos gestos, às crenças e às vontades transformando-as em palavras...

Ser escritor não é dificil. Basta pegar na caneta, sentir e fazê-la deslizar sobre o papel...

terça-feira, março 03, 2009

Palavras

Se acordasse um dia podendo transformar todas as verdades em palavras, o mundo veria outra perspectiva do que é viver. Mas as palavras são um meio limitado de comunicação.
As palavras não traduzem tudo aquilo que sentimos, que idealizamos, que queremos e em que acreditamos. Mesmo sem nos apercebermos, existe um vazio no dicionário que as letras não preenchem. E é por isso que apelo aos sinais. Uma pequena lágrima, um pequeno sorriso ou um pequeno olhar são muito mais que aquilo que as palavras significam...Permitem-nos entrar noutra dimensão...

segunda-feira, março 02, 2009

Finalmente!

O mais habitual é vermos as raparigas fazerem dietas malucas com o intuito de emagrecer. Sinceramente não percebo porque é que a magreza é um estereotipo de beleza. É que no meu caso passa-se exactamente o contrário. Estou sempre a ver quando engordo. Vá Bela ocupa um bocado mais de espaço no mundo.
Vejo as minhas amigas queixarem-se que basta comerem um bocadinho de nada e engordam. Eu por mais que coma não aumento o meu peso por nada. Mas quando deixo de comer...Bem, quase desapareço.
Em Novembro passei por uma fase complicada da minha vida. Nunca me tinha dado para tal. Deixei de comer. Eu, a esfomeada de serviço, fiquei sem fome. A tristeza deu para isso. Em duas semanas perdi 5kg. Imaginem o resultado já que eu nunca fui muito gorda...Quando dei conta do meu estado, voltei a comer com muito esforço para recuperar o peso perdido. O que é certo é que 5 kg perdidos em apenas 2 semanas foram recuperados em 3meses!!!
Hoje de manhã pesei-me como habitualmente(confesso que fiquei um pouco obsessiva) e aí vi: 48kg!!!! O peso que tinha antes de cometer aquela loucura. Finalmente!

domingo, março 01, 2009

Levar o ridiculo para o sério

Ontem vi o filme "Dois estranhos, um casamento". Era estreia na TVI e como considero os filmes vistos na TVI pela primeira vez uma raridade, decidi ver.

Neste filme, um rapaz (Anderson) pede a rapariga que o serve no restaurante e que é uma perfeita desconhecida (Katie) em casamento. Curiosamente ou não, ela aceita. É óbvio que isto é uma estupidez e que só mesmo em filmes é que isto acontece. Mas vamos pensar um bocadinho, fazer algo fora do normal é bastante divertido. Eu não estou a dizer que aceitaria casar com um estranho, estou a falar de outras coisas. Gosto de fugir às regras, ao pré-concebido. Já dizia Eleanor Roosevelt: "Façam todos os dias algo que vos assuste." E é disso que sinto falta, do que é louco, espontâneo, intenso, do que desafia a sorte, do que não está planeado...Ou não fosse eu uma aventureira inata.
Aceitar casar com um estranho é completamente ridículo, aliás, o filme é ridículo do principio ao fim. Mas vamos falar a sério "podemos encontrar um grande amor ao virar de uma esquina" (mas não é para casar logo, ok?). Eu acredito que vou voltar a viver uma história de amor, acredito que posso encontrar um novo príncipe quando menos esperar...Ou não fosse eu uma romântica...
O filme encerrava a ideia "Por mais que tentemos planear a vida, a vida já tem um plano para nós!" Planeei a minha vida ao lado de alguém que quis deixar de fazer parte dela de um momento para o outro. Nada disto se adivinhava. Mas acredito que se a vida me tirou o que eu tinha de mais certo foi para me dar algo melhor. Não sei quando, não sei como. Mas fico à espera de uma surpresa, de uma aventura, dos planos que ela tem para mim....

Fotos da tarde com a Sissi

Aqui estão algumas das fotos tiradas com a Sissi, na última quarta, na Alameda: